30 de jun de 2006

Residência Aparecida Diniz


Vista geral das fachadas Sul e leste


Este projeto foi desenvolvido para um condomínio residencial fechado no Bairro do Altiplano, na cidade de João Pessoa - PB. Por se tratar de um terreno com duas frentes, a edificação ficou mais recuada em relação as testadas sul e oeste.

Localização

Naturalmente, posicionamos no maior sentido do terreno a distribuição dos ambientes da residência, voltando as áreas de maior permanência para o sul, onde a ventilação é mais predominante. Para o norte abriram-se as áreas de serviço e apoio, além da circulação.

Pavimento Térreo


O Espaço de lazer foi locado na área oeste, remanescente do lote. A piscina, se desloca em relação ao corpo da residência para obter a melhor exposição dos raios solares. Um empraçamento em pedra natural faz o papel de deck, conectando a área de piscina com a casa.
O pavimento superior se projeta sobre o térreo na forma de uma extensa varanda, para proteger suas aberturas e paredes do sol abrasador nordestino .
A garagem ocupou uma posição estratégica de transição entre o social e o serviço . Por uma questão de praticidade e otimização de custos o lavabo da sala serve também de apoio à piscina, ou o contrário. Esta decisão exige certos cuidados quanto à definição do detalhamento do mesmo. A parede da sala, "rasgada" para a área da piscina, exigiu uma marquise para abrigá-la do calor do poente.

Pavimento Superior


A peculiaridade do pavimento superior está na autonomia, exigida pelo programa, da suíte da filha da proprietária, com acesso independente e espaço exclusivo para estudos.

Coberta


Quanto aos materias empregados, optou-se pela tradicional alvenaria de tijolos e alguns detalhes em concreto, ambos pintados com tinta acrílica branca. A utilização de pedra no revestimento do volume da caixa d'água faz uma referência orgânica, enquanto que os detalhes em madeira natural na varanda e madeira pintada em branco na mureta remete-se a imagem bucólica dos cercados e porteiras, tão comuns na área rural da nossa região. O contraponto pode ser atribuído as mãos francesas, em perfis metálicos, que contribuem para uma maior projeção do balanço da coberta. O azul profundo aplicado às alvenarias do pavimento superior confere unidade a leitura e cria um ponto focal para a edificação.



Corte transversal



Ficha técnica:

Arquitetura: Oliveira Júnior, Manoel Farias e Glauco Brito
Estagiária: Cynthia Diniz
Imagem 3D: Acro
Projeto: 2003

2 comentários:

  1. Oi, Oliveira!
    Parabéns pelo blog, limpo e organizado. Vivo procurando trabalhos interessantes p divulgar no blog do Cuca (Centro Universitário de Cultura e Arte) da Une de Campina Grande-PB.
    Criei uma sessão p Serviços e o link do teu blog tá lá, valeu...

    ResponderExcluir
  2. Emanuelle Albuquerque20 agosto, 2006 17:44

    Belos trabalhos! Parabéns!
    Navegando e pesquisando cheguei até aqui.
    Sou arquiteta em Natal/RN.
    Ví que vcs utilizam o sketch Up pra algumas volumetrias. Qual a versão q trabalham?

    ResponderExcluir